Os suíços são grandes fãs de monumentos nacionais e outros patrimônios – mais de 70% da população visitou um castelo, igreja ou outro local cultural na Suíça pelo menos uma vez em 2016, revelou uma pesquisa.

The Chateau de Chillon, a medieval fortress on the shores of Lake Geneva near Montreux
O Château de Chillon, uma fortaleza medieval nas margens do Lago de Genebra, perto de  Montreux, é o monumento mais visitado na Suíça. (Keystone)

Naquele ano, a Suíça tinha um total de 272.000 monumentos nacionais – incluindo castelos, igrejas, pontes e estátuas – dos quais 75.084 estavam protegidos, informou o Departamento Federal de Estatísticas (OFS, na silgla em francês) na primeira pesquisa abrangente sobre monumentos nacionais.

Mais da metade desse patrimônio está localizada em apenas cinco cantões: Vaud, Friburgo, Genebra, Berna e Argóvia. A Suíça também abriga atualmente 12 Patrimônios Mundiais da UNESCO – nove culturais e três naturais – incluindo os vinhedos de Lavaux, a Abadia de St. Gallen e a Cidade Velha de Berna.

O OFS disse que havia 39.000 sítios arqueológicos localizados em 9.800 áreas protegidas que se estendem por 40.000 hectares, e 7.200 igrejas e outros edifícios religiosos, principalmente em regiões católicas.

Fundada como mosteiro por Carlos Magno no século 8 e posteriormente convertida em um convento, esse complexo exibe vários estilos arquitetônicos assim como tesouros artísticos de mais de 12 séculos. 

O Cantão de Vaud é o lugar de maior importância nacional, seguido de Friburgo. Os falantes de francês geralmente visitam monumentos nacionais com mais frequência do que os falantes de alemão ou italiano, disse o OFS.

Na terça-feira (18), o departamento nacional de estatísticas também divulgou números sobre gastos públicos em cultura em 2016, que mostraram um aumento de CHF2,8 bilhões no ano anterior para CHF3 bilhões. O gasto público nacional em cultura foi de CHF363 por pessoa em 2016, ou 0,4% do produto interno bruto (PIB).

Anúncios