Durante intervalo, no VII Fórum Jurídico de Lisboa, realizado pelo Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), do ministro Gilmar Mendes, o ministro Alexandre de Moraes sinalizou que o inquérito aberto por Dias Toffoli para apurar supostos ataques ao STF vai continuar.

“Nós vamos continuar investigando, principalmente – e esse é o grande objetivo do inquérito aberto por determinação do presidente do Supremo – as ameaças aos ministros do STF.”

Segundo o ministro, há “um verdadeiro sistema que vem se montando para retirar credibilidade das instituições”.

“Foi necessária a abertura de um inquérito por parte do Supremo Tribunal Federal porque inúmeros fatos foram ocorrendo.

Vários ofícios partiram, nos últimos cinco seis meses, da presidência do Supremo pedindo alteração, e infelizmente não houve apuração devida. Isso concentra essa apuração para depois distribuir aos órgãos competentes.”

Dentro do inquérito, Moraes já determinou buscas e apreensões nas residências de suspeitos de serem autores de ofensas e ameaças contra integrantes da STF e censurou os sites ‘O Antagonista’ e a revista eletrônica ‘Crusoé’.

Na última quinta (17), diante da pressão de colegas do Tribunal, o relator revogou a censura.

 

Anúncios