Acontece nesta segunda-feira (22) a última etapa antes da adoção definitiva de uma lei sobre a utilização da internet no Parlamento da Rússia.

Este polêmico artigo de legislação deve supostamente “proteger” o país contra possíveis ataques cibernéticos. Mas seus críticos acusam o governo de Vladimir Putin de querer censurar a rede como ele bem entender, e “controlar” ainda mais não apenas o conteúdo, mas os usuários.

Para os parlamentares que devem adotar a medida definitivamente no Senado, este texto tem apenas um objetivo: garantir o bom funcionamento da rede russa em caso de ameaça externa. Para conseguir isso, a nova lei quer permitir que sites russos operem sem passar por servidores estrangeiros, ou seja, isolar completamente a internet russa em caso de ataque cibernético.

Para as autoridades russas e defensores deste texto (307 votos a favor, 68 contra, quando foi adotado em terceira leitura em 16 de abril), a sociedade russa está cada vez mais dependente do ciberespaço, então torna-se necessário proteger-se inteiramente de ameaças externas.

Concretamente, uma infraestrutura totalmente impermeável deverá ser implementada para que os sites russos possam se conectar a ela e, de certa forma, “se retirar do mundo”.

Ler mais

*RFI

Anúncios