O Conselho Permanente da Organização dos Estados Americanos se reuniu nesta terça-feira para discutir os planos para a restauração democrática da Venezuela. 

Os representantes dos países da América Latina também discutiram as propostas de Juan Guaidó, presidente interino da República, referente ao Plano País.

Anteriormente, em sessão interna, o Conselho Permanente da Organização dos Estados Americanos aprovou a resolução que reconhece Gustavo Tarre Briceño, nomeado por Guaidó,  como representante legal da Assembleia Nacional venezuelana ante o organismo internacional.

Tarre Briceño foi nomeado embaixador da Venezuela junto à OEA em uma sessão extraordinária com 18 votos a favor, na sede da entidade em Washington.

Nicarágua, São Vicente e Granadinas, Bolívia, Barbados e Guiana rejeitaram as ações de Gustavo Tarre Briceño, perante o Conselho Permanente.

Gustavo Tarre foi apresentado por Carlos Trujillo, representante dos Estados Unidos e líder do Conselho Permanente, que fez seu primeiro discurso. 

Tarre criticou os delegados que rejeitaram sua presença porque não fizeram um pronunciamento antes da usurpação dos poderes da República pelo governo Maduro e a crise sofrida pelos venezuelanos. 

Disse, ainda, que a representação de Maduro usa a usurpação dos poderes públicos e a repressão aos cidadãos, que “endossam as ações de Guaidó”. 

*Com informações do El Nacional

Anúncios