As mudanças na política externa brasileira desde o início do ano, um dos temas mais controversos do governo de Jair Bolsonaro, foram avaliadas por um artigo publicado na revista americana The National Interest.

Enquanto a maioria dos analistas externos até o momento criticam as propostas do novo governo e apontam o risco de isolamento do Brasil e de perda de soft power, a publicação faz um balanço do que foi feito até o momento e defende o realinhamento da diplomacia do Brasil.

“Se Bolsonaro continuar a pressionar pela privatização da infraestrutura e levar adiante uma drástica redução na burocracia, então o investimento estrangeiro provavelmente virá em seguida.

O realinhamento do Brasil provavelmente será visto como um passo positivo na direção certa”, diz o artigo. O texto analisa as primeiras viagens de Bolsonaro ao exterior, aos Estados Unidos, Israel e Chile, e argumenta que as mudanças propostas têm foco em promover um aumento do comércio exterior com esses países.

“O movimento em direção ao livre comércio, os laços mais próximos com as democracias do mundo e a cooperação regional não queimada pelo petrodólar da Venezuela e pelo ‘socialismo do século XXI’ parecem ter um resultado positivo para o Brasil”, diz.

A revista The National Interest é publicada pelo think tank americano Center for the National Interest, que promove debares e discussões sobre a política externa americana.

*Por Daniel Buarque – UOL