O líder do chavismo, Diosdado Cabello, convocou nesta terça-feira uma manifestação no palácio presidencial de Miraflores, em Caracas, depois que a oposição Juan Guaidó afirmou ter o apoio de “bravos soldados” contra o líder socialista Nicolás Maduro.

“Estamos agora mobilizados e convidamos todo o povo de Caracas: venha para Miraflores. Vamos ver o que eles podem fazer contra o nosso povo”, disse Cabello, presidente da Assembleia Constituinte no poder, em nota na televisão estatal VTV, chamando a ação de Guaidó de “espetáculo grotesco”.

O governo venezuelano denunciou nesta terça-feira uma “tentativa de golpe de Estado”, depois que Guaidó afirmou contar com apoio de militares.

“Neste momento estamos enfrentando e desativando um grupo reduzido de militares traidores que se posicionaram na distribuidora Altamira para promover um golpe de Estado”, escreveu no Twitter o ministro da Comunicação, Jorge Rodríguez, que se referiu ao caso como uma “tentativa” e acusou a “direita golpista”.

“Hoje, corajosos soldados, patriotas valentes, homens valentes apegados à Constituição, responderam ao nosso chamado, nós também viemos ao chamado, nós definitivamente nos encontramos nas ruas da Venezuela”, disse Guaidó na mensagem de vídeo postada em suas redes sociais, onde aparece ao lado de um pequeno grupo de militares.

*AFP

Anúncios