O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos, Luis Almagro, saudou hoje “a adesão” do exército venezuelano ao autoproclamado Presidente deste país, Juan Guaidó.

“Saudamos a adesão dos militares à Constituição e ao Presidente executivo da Venezuela. É preciso que o processo de transição seja feito de forma pacífica”, declarou Luis Almagro na rede social Twitter.

Guaidó, reconhecido como Presidente interino da Venezuela por meia centena de países, publicou hoje um vídeo através das redes sociais, no qual aparece junto a um grupo de militares na base de La Carlota, a leste de Caracas, e em que assegura que vai “recuperar a democracia e a liberdade na Venezuela”.

Para tal, fez um “chamamento aos cidadãos”, pedindo que apoiem o movimento e afirmando contar “com o povo venezuelano”.

As forças de segurança da Venezuela leais ao Governo de Nicolas Maduro têm estado a lançar gás lacrimogéneo contra Guaidó e os militares que o acompanham, segundo testemunhas citadas pela agência espanhola Efe.

O Governo do Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, denunciou hoje estar a enfrentar um golpe de Estado, de “um reduzido grupo de militares traidores” que estão a ser neutralizados.

“Informamos o povo da Venezuela que neste momento estamos a enfrentar e desativar um reduzido grupo de militares traidores que se posicionaram no Distribuidor Altamira (leste de Caracas), para promover um golpe de Estado contra a Constituição e a paz da República”, anunciou o ministro venezuelano de Comunicação e Informação no Twitter.

A mensagem surgiu momentos depois de o Presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, ter anunciado que os militares deram “finalmente de vez o passo” para acompanhá-lo e conseguir “o fim definitivo da usurpação” do Governo do Presidente Nicolás Maduro.
*Com informações da agência Lusa
Anúncios