Um grupo de arqueólogos poloneses, que há anos realiza escavações na cidade peruana de Huarmey, descobriu uma tumba de 1.200 anos, que acredita ser de um operário metalúrgico.

A descoberta ocorreu acidentalmente, quando a perna de um dos integrantes do grupo de arqueólogos “se afundou” em um buraco, localizado no lugar de uma suposta praça cerimonial. Ao explorar o buraco, encontraram a tumba de um homem de 20 anos de idade, aproximadamente.

Os pesquisadores indicam que não há sinais de rituais. O corpo foi colocado na tumba sentado e estava envolvido em tecido, segundo o portal Science Poland.

Junto com o esqueleto, os arqueólogos encontraram uma série de objetos metálicos: uma serra, um machado, facas e formões com restos de osso, que também estavam envolvidos em tecidos.

Uma análise realizada pelos especialistas Milosz Giersz e Branden Rizzuto mostrou que os utensílios eram feitos de um liga de cobre e arsênico.

“A liga de arsênico garantia que as ferramentas eram realmente duras e que poderiam ser utilizadas para diversos trabalhos de campo e entalhe, servindo também como armas de guerra”, afirmou Giersz.

Outra descoberta que chamou a atenção dos especialistas foi uma grande faca feita de obsidiana, que era “uma matéria-prima muito valiosa na cultura wari e em outras culturas da América”.

O traje fúnebre do jovem encontrado levou os arqueólogos a acreditar que ele tivesse sido um operário metalúrgico, já que se assemelha aos trajes utilizados durante o derretimento de metais. Além disso, os especialistas acreditam que o jovem estava no local para simbolizar a profissão que havia desempenhado durante sua vida.

*Sputnik

Anúncios