A primeira manifestação não autorizada realizada em Cuba em décadas, convocada neste sábado em Havana por ativistas LGBTI, levou a confrontos entre os participantes e a polícia cubana, que prendeu pelo menos quatro pessoas, segundo uma contagem preliminar dos organizadores.

Membros da sociedade civil independente chamaram “boca a boca” e através de redes esta marcha de orgulho gay sem a permissão das autoridades, após o Governo ter cancelado, com a justificativa inicial da crise econômica que assolou o país, o tradicional “conga” contra a homofobia patrocinada pelo Centro Nacional de Educação Sexual oficial (Cenesex), informa a agência EFE.

 

Anúncios