Na China, as pessoas trans são classificadas como tendo uma doença mental e, devido a essa discriminação, são forçadas a realizar cirurgias para mudança de sexo, altamente perigosas.

O jornal britânico Daily Mail  publicou na sexta-feira (10) um novo relatório da Anistia Internacional na China,  onde revela que a “China está falhando com as pessoas transgêneros”. “Muitos arriscam suas vidas comprando drogas do mercado negro e tentando a auto-cirurgia”, destaca o relatório.

A prevalência do estigma, a falta de conhecimento ‘alarmante’ no sistema público de saúde e outros requisitos restritivos de elegibilidade levaram jovens transexuais a buscar alternativas não-regulamentadas e inseguras,

Conforme a Anistia, as pessoas transexuais são “invisíveis” na China e elas enfrentam discriminação enraizada em casa, na escola, no trabalho e no sistema de saúde.

Não existem leis anti-discriminação que protejam as comunidades LGBTI na China.

Anúncios