Multinacionais, pequenas empresas, escritórios de advogados e organizações de solidariedade social terão sido roubados em mais de 100 milhões de dólares.

São pelo menos 40 mil vítimas.

Uma complexa operação policial à escala global, mas com especial incidência nos Estados Unidos, Bulgária, Alemanha, Geórgia, Moldávia e Ucrânia.

Os elementos da rede infetavam os computadores com um ficheiro com o nome GozNym. Um malware que roubava os dados bancários que depois eram usados para tirar dinheiro das contas.

Os membros deste grupo foram recrutados online, onde a rede vendia o software a outros criminosos.

Mais de uma dezena de pessoas foram já detidas em vários países. Cinco russos permanecem a monte, mas têm mandados de captura internacionais.

O líder da rede foi detido na Geórgia.

A polícia Europeia sublinha que esta foi uma operação ímpar, em termos de colaboração transfronteiriça.

Anúncios