O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou na quarta-feira (15)”emergência nacional” e emitiu uma ordem executiva a proibir empresas do país de usarem equipamentos de telecomunicações de empresas estrangeiras consideradas de risco, uma medida que visa, sobretudo, a Huawei e aumenta a pressão na guerra comercial com a China.

A ordem autoriza o Departamento do Comércio a impedir negócios que envolvam tecnologias desenvolvidas por “adversários estrangeiros” que a Casa Branca considera que estão a explorar vulnerabilidades nos serviços e infraestruturas tecnológicas de informação e comunicação dos EUA para espionagem ou sabotagem.

“Temos uma pequena disputa com a China porque fomos tratados de forma injusta por muitas, muitas décadas. Isto deveria ter sido resolvido há bastante tempo, e não foi, pelo que estamos a lidar com isso agora. Penso que tudo vai acabar por correr muito bem. Estamos numa posição muito forte. Nós somos o ‘porquinho mealheiro’ de que toda a gente gosta de tirar partido”, afirmou Trump.

Os EUA lideram uma campanha global para impedir que companhias chinesas, como a gigante Huawei, fiquem com o controle das redes 5G, que permitem navegar pela internet com mais velocidade e podem facilitar o desenvolvimento de veículos autônomos e técnicas para realizar cirurgias por controle remoto.

Também na Europa há países preocupados com a entrada do investimento chinês na União Europeia, designadamente no desenvolvimento das redes 5 e 5G.

A sanção que tem a Huawei como alvo é mais uma lenha para a fogueira da tensão entre Washington e Pequim. Contudo, Trump está otimista em plena guerra comercial.

*Com informações da Euronews

 

 

Anúncios