O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, apresentou nesta quinta-feira (16) seu plano de reforma migratória, que aumenta de maneira significativa a cota para trabalhadores qualificados e propõe mudanças no que considera abusos do modelo atual.

“Ao ser adotado, nosso plano transformará o sistema de imigração dos Estados Unidos no orgulho da nossa nação e será invejado pelo mundo moderno”, prometeu o chefe de Estado durante a apresentação do projeto na Casa Branca.

Trump disse ser a favor da entrada de imigrantes no país, mas insistiu que devem vir por méritos e habilidades.

“A principal mudança é aumentar a proporção de imigrantes altamente qualificados de 12% para 57%, e gostaríamos de ver se é possível elevar esse índice ainda mais”, disse. “Isto nos fará mais competitivos no mundo”.

O novo sistema vai exigir que os solicitantes saibam inglês e informações básicas sobre a história e a sociedade americana.

“Será exigido que aprendam inglês e que passem por uma prova de educação cívica antes da admissão”, acrescentou Trump.

O presidente também denunciou o que considera abusos do sistema de imigração dos Estados Unidos.

“Nossa nação orgulhosamente tem concedido ao longo da história proteção para aqueles que fogem de perseguições políticas. Infelizmente, os solicitantes de asilo legítimos estão sendo deixados em segundo plano por aqueles que apresentam justificativas frívolas”, disse Trump.

O dirigente americano prometeu que quem tiver uma “demanda correta” será “admitido rapidamente”, caso contrário, será “devolvido para casa”.

“Nosso plano visa dois objetivos importantes. Primeiro, impede a imigração ilegal e protege completamente a fronteira. E em segundo lugar, estabelece um novo sistema de imigração legal que protege os salários americanos, promove os valores americanos e atrai os melhores e mais brilhantes de todo o mundo”, garantiu.

Mas é pouco provável que o plano avance no Congresso, cuja Câmara de Deputados é controlada pela oposição democrata.

O magnata republicano, que fez da luta contra a imigração ilegal um dos principais temas de seu governo, garante que os Estados Unidos estão sendo invadidos por imigrantes e solicitantes de asilo.

Os opositores do presidente afirmam que a pressão para construir mais barreiras na fronteira com o México e os frequentes ataques aos imigrantes, a quem chama de delinquentes, são perigosos e incitam o ódio racial.

Trump declarou emergência nacional para desbloquear bilhões de dólares para seu polêmico projeto de construção de um muro na fronteira com o México, para onde também enviou tropas para evitar a entrada de imigrantes ilegais.

*AFP

Anúncios