China anunciou nesta sexta-feira (31) a criação de uma lista negra de empresas estrangeiras “não confiáveis”, como resposta às medidas dos Estados Unidos contra a gigante chinesa Huawei, em plena escalada da guerra comercial entre as duas potências.

A medida foi revelada um dia antes de Pequim começar a aplicar, a partir de 1º de junho, um aumento de tarifas a produtos americanos no valor de 60 bilhões de dólares.

O Ministério do Comércio da China não destacou nenhum país ou empresa, mas a ameaça pode aumentar ainda mais as tensões depois que os Estados Unidos colocou a Huawei em uma lista negra que efetivamente impede que empresas dos EUA façam negócios com a gigante chinesa de equipamentos de telecomunicações.

Uma série de comentários, críticas e advertências agudas da China nas últimas duas semanas piorou a retórica com os Estados Unidos, o que pode complicar a preparação para qualquer reunião entre seus respectivos líderes no mês que vem.

A medida anunciada nesta sexta-feira por Pequim parece uma resposta à ofensiva da administração Trump contra a Huawei.

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse que planeja se encontrar com seu colega, Xi Jinping, durante a cúpula do G20, marcada para 28 e 29 de junho, em Osaka, embora a China não tenha formalmente confirmado isso.

Xi e Trump provavelmente acharão “difícil” fazer grandes progressos para acabar com a guerra comercial, disse uma ex-autoridade chinesa.

*Com AFP e Terra

Anúncios