O candidato a Presidente da Argentina, Alberto Fernandez, companheiro de chapa da ex-presidente Cristina Kirchner, reuniu-se sexta-feira (31) com o ex-presidente José Mujica, do Uruguai, durante uma visita a Montevidéu.
“Sempre ouvindo ‘Pepe’ é valioso, ‘Pepe’ vai além da conjuntura, ele propõe uma filosofia política que eu compartilho”, disse ele a repórteres no final da reunião na residência de Mujica, localizada em uma área rural na região, fora da capital uruguaia, segundo a AFP.

“Em todos esses anos nós conversamos muitas vezes e Pepe sempre me dizia: ‘você me traz candidatos e você nunca é um candidato’, então eu vim para dar a ele o prazer”, disse ele.

Fernandez, pré-candidato às eleições presidenciais na Argentina, destacou a relação com o Uruguai apesar de um período “muito conflituoso” durante a gestão de Néstor (2003-2007) e Cristina Kirchner (2007-2015) para a instalação de uma planta de processamento de celulose na margem uruguaia de um rio compartilhado, que terminou em um ensaio internacional. 

“Eu não concebo uma relação conflituosa” com o Uruguai, disse Fernandez, que foi escolhido pela ex-presidente para chefiar a fórmula com a qual ela espera voltar ao poder depois de quatro anos do governo de Mauricio Macri. 

Questionado sobre sua posição sobre a crise na Venezuela, ele disse: A atitude do Uruguai é de enorme dignidade. Ninguém duvida que na Venezuela há um problema. Ninguém duvida que devemos preservar os direitos individuais. O que duvido é que a solução proposta é uma boa solução”, afirmou Fernandez aludindo a interferências estrangeiras.

O Uruguai apoiou o regime de Nicolás Maduro na Venezuela, enviando representantes para a cerimônia de posse. 

Fernandez criticou a gestão de Macri e defendeu a “honestidade” de sua companheira que, segundo ele, é “vítima, como Lula (o ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, preso por corrupção), de uma perseguição contra líderes latino-americanos “.

Cristina Kirchner, atualmente senadora, foi imputada pela Justiça de seu país em múltiplos casos de corrupção.

Fernández visitou o Parlasur (parlamento do Mercosul) e se encontrará com senadores locais antes de retornar a Buenos Aires.

*Com informações de NTN24

Anúncios