Rosa María Payá, ativista de direitos humanos, em uma entrevista ao programa La Tarde de NTN24 falou sobre a influência e responsabilidade de Cuba sobre os atuais obstáculos para a Venezuela entrar em um processo de democratização. 

Payá ressaltou que a interferência cubana na região é “existencial para eles”, porque ao atingir governos semelhantes ao regime, eles silenciam seus crimes e obtêm mais recursos. 

A ativista disse que o regime cubano não permite que as famílias da ilha comprem mais de um peixe por mês, através do cartão de racionamento. “O modo pelo qual o regime cubano sobrevive deve ser separado do modo como as pessoas sobrevivem”, disse ela.

Anúncios