Os ministros das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov e Colômbia, Carlos Holmes Trujillo, darão especial atenção à situação na Venezuela na reunião que será realizada amanhã, segunda-feira, segundo o governo russo. 

“Eles vão dedicar atenção especial durante a reunião à situação na Venezuela e tudo o que a rodeia”, disse uma declaração estrangeira. 

Enquanto a Rússia apóia o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, desde o início da crise, a Colômbia apoiou a oposição liderada por Juan Guaidó, que foi reconhecido como presidente interino por mais de 50 países, incluindo os Estados Unidos.  

Lavrov denunciou a reunião esta semana com seu homólogo cubano, Bruno Rodriguez, a Casa Branca está a fazer esforços para assegurar que as diferenças ideológicas entre a oposição eo governo vai levar a um confronto militar “na Venezuela. 

A crise venezuelana causou tensões entre os dois países depois de altos funcionários russos advertiram Bogotá contra uma incursão militar no país vizinho e que a Rússia enviou para a Venezuela dois caças para participar de exercícios militares conjuntos.  

sobre o outro lado, de acordo com o comunicado oficial do Governo russo, o encontro entre Lavrov e Holmes é destinado a “confirmar a aspiração mútua de desenvolver um relacionamento multilateral”. 

“A Colômbia é um parceiro importante da Rússia na América Latina e na arena internacional”, destaca o Foreign Affairs, que destaca que Bogotá também apóia um mundo multipolar e a solução política de crises, e rejeita a interferência nos assuntos internos de outros países. 

A Rússia, como membro permanente do Conselho de Segurança da ONU, apóia o processo de paz na Colômbia e defende a continuação da implementação do acordo entre o governo e a guerrilha, diz ele. 

*Venepress