Alpinistas nepaleses recuperaram quatro corpos e recolheram cerca de 11 toneladas de lixo acumulado durante décadas no Monte Evereste e em um acesso abaixo do acampamento-base, como parte de uma iniciativa para limpar a montanha mais alta do mundo, disse o governo nesta quarta-feira.

Alpinistas que voltavam da montanha de 8.850 metros disseram que as encostas estão repletas de excremento humano, cilindros de oxigênio usados, barracas rasgadas, cordas, escadas quebradas, latas e plásticos deixados pelos alpinistas, um constrangimento para um país que obtém uma renda valiosa das expedições ao Everest.

O lixo, assim como os corpos de cerca de 300 pessoas que morreram ao longo dos anos nas encostas do Everest, fica soterrado debaixo da neve durante o inverno, mas se torna visível no verão, quando a neve derrete.

Uma equipe de limpeza de 20 alpinistas sherpas recolheu cinco toneladas de lixo em abril e maio em vários campos situados acima do acampamento-base e outras seis toneladas de áreas abaixo, disse Dandu Raj Ghimire, diretor-geral do Departamento de Turismo. *Reuters

“Infelizmente, não foi possível trazer para baixo uma parte do lixo coletado em sacolas no Colo Sul por causa do clima ruim”, disse Ghimire em um comunicado nesta quarta-feira.

O Everest foi desbravado pelo neozelandês sir Edmund Hillary e pelo sherpa Tenzing Norgay em 1953, e desde então cerca de 5 mil pessoas chegaram ao seu pico.

Anúncios