O General Luis Navarro da Colômbia faz uma declaração que terá um profundo desdobramento na área de inteligência das Américas.

Soldados da Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) leais ao presidente Nicolás Maduro treinaram membros da mais perigosa força guerrilheira da América do Sul, o Exército de Libertação Nacional (ELN), para usar mísseis antiaéreos portáteis, ou MANPADS na sigla em inglês, segundo autoridades colombianas.

Os combatentes do ELN foram treinados para operar o sistema de míssil terra-ar IGLA, fabricado na Rússia, de acordo com o general Luis Navarro. A força marxista conhecida como ELN há muito tempo usa o território venezuelano como refúgio e tem uma estreita afinidade ideológica com o governo socialista de Maduro, que os EUA estão tentando derrubar.

Segundo Navarro, os serviços de inteligência da Colômbia não sabem se o ELN realmente adquiriu seus próprios lançadores de mísseis, nem sabem se o treinamento foi organizado por uma facção dentro das forças armadas da Venezuela ou sancionada nos níveis mais altos, em Caracas

O ELN recebeu treinamento clandestino e não nas bases do exército venezuelano, disse Navarro.

“Essas armas são usadas pelas forças armadas venezuelanas”, disse ele em uma base aérea de Bogotá. “Temos a evidência clara e a inteligência necessária para afirmar que o ELN é considerado como parte da defesa do regime de Maduro.”

Depois que os serviços de inteligência de Maduro desfizeram várias conspirações anteriores, ele tomou medidas para reduzir sua dependência das forças armadas, recorrendo cada vez mais a gangues de apoiadores civis armados (milícias), bem como a conselheiros (mercenários) cubanos e russos.

O ELN, que se espalhou para além da região da fronteira colombiana até a Venezuela, freqüentemente defende o governo de Maduro em suas declarações.  *Com informações da Agência DefesaNet

Anúncios