O Ministério dos Bens Culturais da Itália anunciou nesta quinta-feira (6) que enviará para exposição no Brasil uma série de itens arqueológicos dos parques de Pompeia e Ercolano, em função do incêndio que devastou o Museu Nacional, no Rio de Janeiro, em setembro passado.

A iniciativa foi divulgada após uma reunião do ministro dos Bens Culturais da Itália, Alberto Bonisoli, com o embaixador do Brasil em Roma, Antonio Patriota.

Durante o encontro, Bonisoli “manifestou solidariedade com todo o povo brasileiro” por causa do incêndio no Museu Nacional.    As chamas atingiram inclusive uma coleção arqueológica trazida ao Brasil por Teresa Cristina de Bourbon-Duas Sicílias, nascida em Nápoles, como dote de seu casamento com o imperador Dom Pedro II.

“O ministro ficou feliz em comunicar ao embaixador que, enquanto aguarda a reconstrução do Museu, o Ministério dos Bens Culturais, com colaboração do Museu Arqueológico Nacional de Nápoles e dos Parques Arqueológicos de Pompeia e Ercolano, enviará, por um período prolongado, uma seleção de achados prestigiosos que serão expostos no Consulado-Geral Italiano no Rio”, diz uma nota oficial.

O objetivo desse projeto, segundo Bonisoli, é permitir que o público brasileiro “volte a usufruir do patrimônio cultural de proveniência italiana perdido no incêndio” no Museu Nacional.

O envio das peças arqueológicas deve ser realizado até o fim do ano, assim que o Consulado-Geral da Itália no Rio adequar seu espaço para receber a exposição.

Além disso, Bonisoli ofereceu uma colaboração para restaurar uma estatueta koré (estátua feminina grega em pé e com postura rígida) trazida por Teresa Cristina e destruída no incêndio.  *ANSA e Época Negócios

 

Anúncios