Nicolás Maduro mandou reabrir parte da fronteira com a Colômbia. Depois de assinar um acordo com a Cruz Vermelha para o fornecimento de ajuda humanitária, o presidente da Venezuela usou as redes sociais para anunciar que os postos do Estado de Táchira, no noroeste do país, voltam a funcionar.

A fronteira com a Colômbia foi fechada há quase quatro meses, para impedir a entrada de ajuda humanitária coordenada pelo presidente da Assembleia Nacional e autoproclamado chefe de Estado, Juan Guaidó.

O encerramento dos postos oficiais não estancou a saída de cidadãos país. As Nações Unidas estimam que são já mais de 4 milhões os venezuelanos refugiados no exterior.

A Organização Internacional das Migrações e o Alto Comissariado da ONU para os refugiados classificam o ritmo de saídas como “assombroso”.

Só nos últimos sete meses, passaram as fronteiras um milhão de pessoas. Os venezuelanos são agora uma das maiores comunidades deslocadas do mundo.

A maior parte dos refugiados encontra-se na Colômbia, o país com a maior fronteira com a Venezuela.  *Euronews

Anúncios