O líder opositor da Venezuela Juan Guaidó, agradeceu nesta segunda-feira (10) à Austrália por seu apoio à iniciativa para convocar novas eleições no país sul-americano e alertou sobre um êxodo maior que o da Síria.

“O que a comunidade internacional fez é muito importante: o reconhecimento da nossa Constituição e a mim como presidente encarregado. A Austrália o fez dessa maneira, o que agradecemos muitíssimo, (com) as sanções ou a proteção de ativos que solicitamos”, disse Guiadó à emissora australiana de televisão “ABC”, conforme registra a Agência EFE.

O Governo da Austrália reconheceu em janeiro Guaidó como presidente interino “em concordância com a Constituição da Venezuela e até que sejam realizadas eleições”, ao pedir uma transição para a democracia.

Guaidó pediu à comunidade internacional para continuar pressionando para que se convoque eleições e “acabe a usurpação” que atribui ao governo de Nicolás Maduro, ao mesmo tempo ressaltando que o problema da Venezuela é de todo o mundo. “Há quatro milhões de emigrantes.

Projeta-se que se o fluxo continuar vamos superar a Síria em número de emigrantes”, acrescentou Guiadó, classificando a situação humanitária de “complexa”.

Anúncios