O Tribunal de Justiça da União Europeia considera que os produtos originários da Cisjordânia devem indicar se foram ou não produzidos num colonato israelita nesse território palestiniano.

A recomendação do advogado-geral, não vinculativa, é normalmente seguida pelos juízes que devem pronunciar a sentença sobre o caso envolvendo uma empresa israelita.

A empresa solicitou a anulação da notificação de origem específica que é exigida pela legislação da União Europeia. *Euronews

Anúncios