Em café da manhã, nesta sexta-feira (14), com jornalistas no Palácio do Planalto, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, General Augusto Heleno, disse que tinha vergonha do petista Lula da Silva ter sido Presidente da República.

Entrevista gravada na quinta-feira (13), com Lula, diretamente na prisão onde ele se encontra desde abril de 2018, e transmitida hoje pela emissora TVT, o ex-presidente fez duras críticas ao presidente Jair Bolsonaro e a Sergio Moro.

Lula disse que, como resultado de sua ausência nas duas últimas eleições, “o país pariu essa coisa chamada Bolsonaro”.

Ele também questionou a faca que vitimou o então candidato em Juiz de Fora (MG): “Eu, sinceramente…aquela facada tem uma coisa muito estranha, uma facada que não aparece sangue, que o cara é protegido pelos seguranças do Bolsonaro”.

Sobre o vazamento de áudios envolvendo o ex-juiz da Lava-Jato, Sergio Moro, Lula disse que: “Moro é mentiroso” e estava “condenado a condená-lo” … “pode pegar a turma da força-tarefa, o Moro, enfiar num liquidificador, e quando for tomar o suco, não dá a honestidade do Lula”.

Diante das ofensas de Lula, o general Augusto Heleno, ministro-chefe do GSI, durante o café da manhã com o presidente Bolsonaro, mostrando indignação elevou o tom:

“Na minha opinião, sempre tive essa opinião, ela é minha, não é do presidente, presidente da República desonesto tinha que tomar uma prisão perpétua. Isso é um deboche com a sociedade. Presidente da República desonesto destrói o conceito do país. É o cúmulo ele ainda aventar a hipótese de a facada ser uma mentira.”

Prosseguiu Heleno:

“E será que o câncer dele foi mentira? E o câncer da dona Dilma foi mentira? Isso é uma canalhice típica desse sujeito. Não mereceu jamais ser presidente da República! Presidência da República é uma instituição quase sagrada. Eu tenho vergonha de um sujeito desse ter sido presidente da República.”

Assista o vídeo das críticas do General Augusto Heleno, divulgado pelo site O Antagonista:

Anúncios