A mídia estatal chinesa permanece em silêncio enquanto cerca de dois milhões de pessoas em Hong Kong foram às ruas neste domingo (16) para protestar contra uma nova lei de extradição.

As plataformas sociais chinesas não têm qualquer registro dos protestos.

O governo de Hong Kong foi abalado nos últimos dias por manifestações massivas – e alguns episódios violentos – que forçaram a diretora-executiva da cidade, Carrie Lam, a suspender indefinidamente a aprovação da lei.

A agência oficial de notícias Xinhua, da China, divulgou um texto de quatro parágrafos destacando a suspensão da medida “tendo em vista as visões fortes e diferentes da sociedade”.

A Xinhua apontou que Lam se desculpou com o povo e se comprometeu a fazer melhorias depois que “deficiências” no trabalho do governo de Hong Kong “levaram a substanciais controvérsias e disputas na sociedade”.

O texto não fez menção ao protesto de domingo (16) em que multidões tomaram as ruas de Hong Kong pedindo a renúncia de Lam.   *Sputnik

Anúncios