Espanha é, desde sábado, o terceiro país da Europa, depois da Suíça e do Reino Unido, a ligar-se ao 5G. O novo serviço funciona em 15 cidades, entre elas Madrid e Barcelona, através da Vodafone.

A cobertura é de cerca de 50 por cento do território. O operador de telecomunicações mantém a parceria com a Huawei, a tecnológica chinesa, que desenvolveu o sistema.

A implantação da nova rede ocorre à margem da pressão dos EUA sobre os Estados-membros da União Europeia para que não se associassem à Huawei neste projeto.

Para alguns espanhóis as vantagens do 5G são muitas e quem perde com esta guerra é Washington:

“Penso que a Huawei é muito competitiva, mas as outras marcas não devem ter inveja. Considero o 5G muito seguro. O sistema de encriptação e muitos outros aspetos fazem com que as pessoas confiem na marca”, adianta uma jovem espanhola.

“Fala-se muito de mercado livre no mundo ocidental mas depois não deixam que países do Oriente possam ter a mesma sensibilidade em relação ao mercado livre. Ou seja, mercado livre mas para quem, afinal?” – Pergunta um jovem.

Em Portugal aguarda-se a decisão sobre qual vai ser o modelo de atribuição de licenças 5G. Mas “a primeira transmissão televisiva” no país, em rede de quinta geração móvel, aconteceu também no sábado.

O 5G permite, e entre outras coisas, uma maior velocidade na transmissão de dados. *Euronews

Anúncios