O presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta terça-feira que a Câmara aprove a proposta de reforma da Previdência da forma que foi enviada pelo governo ao Congresso, com a criação de um sistema de capitalização, após o relator Samuel Moreira (PSDB-SP) ter retirado o novo regime do parecer apresentado na semana passada.

“Nós gostaríamos que tudo o que nós propusemos fosse acolhido. Mas sabemos que a Câmara tem legitimidade para alterar e, se não for acolhido, o governo prossegue sem problema nenhum”, disse o presidente a repórteres ao ser questionado sobre a retirada da capitalização, em entrevista após cerimônia de hasteamento da bandeira em frente ao Palácio do Planalto.

Perguntado se o governo vai tentar retomar o regime de capitalização, o presidente acrescentou: “Lá no plenário, não é nem o próprio governo, as próprias bancadas ou algum líder partidário pode propor uma emenda e destacá-la e entrar em votação”.

No texto apresentado na semana passada, o relator excluiu pontos polêmicos, como o regime de capitalização e a inclusão de Estados e municípios nas novas regras, assim como as alterações previstas no Benefício de Prestação Continuada (BPC) e na aposentadoria rural.  *Reuters

Anúncios