A União Europeia (UE), cujas empresas estão ameaçadas por novas medidas norte-americanas contra Cuba, enfrenta Washington, facilitando seus investimentos na ilha.

Comissário para Cooperação Internacional e Desenvolvimento, Neven Mimica, entregou nesta sexta-feira em Havana uma contribuição de quatro milhões de euros para uma “janela única” de investimentos.

Segundo as autoridades cubanas, essa janela única será aberta no início de 2020 “para facilitar o investimento estrangeiro no país”.

A UE “condena veementemente as medidas extraterritoriais unilaterais relacionadas com Cuba que são contrárias ao direito internacional. Estamos preocupados com o impacto negativo do aperto do embargo dos EUA”, disse o croata Mimica.

O comissário europeu participa em Havana de um fórum de negócios com Cuba, que reúne 120 empresários, juristas e acadêmicos de Estados Unidos, Espanha e Canadá, para promover o investimento na ilha.

“Por isso é muito pertinente participar deste fórum (…) e ressaltar o papel do apoio da União Europeia neste difícil contexto”, acrescentou em declarações à imprensa.

Na quinta-feira, Washington incluiu Cuba em sua lista negra de tráfico de pessoas, dando continuidade a uma série de medidas como a proibição de viagens de cruzeiros para a ilha, a limitação das remessas familiares e a ativação do capítulo III da lei Helm-Burton.

Esta lei aceita reclamações em cortes americanas de pessoas ou companhias afetadas pelas nacionalizações realizadas em Cuba nos anos 60, e pode multar as empresas estrangeiras que “trafiquem” essas propriedades. *AFP

Anúncios