Neste sábado (22), o vereador do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro, utilizou suas redes sociais para criticar a audiência de custódia, um dispositivo da lei que determina que presos em flagrantes sejam ouvidos por um juiz para determinar se a prisão teve alguma ilegalidade.

A manifestação de Carlos Bolsonaro, filho do presidente Bolsonaro, deu-se em virtude da liberdade concedida pela juíza a três assassinos do policial militar, sargento Luiz Carlos da Silva, logo após o crime.

Diante desse fato, Carlos Bolsonaro, em suas redes sociais, compartilhou um vídeo mostrando os acusados de matar o policial, deixando a prisão.

Também, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, utilizou as redes sociais na manhã deste sábado (22), para criticar e ironizar o fato dos três suspeitos de envolvimento no crime terem sido liberados em Audiência de Custódia.

Bolsonaro afirmou que o filho dele, o deputado Eduardo Bolsonaro, apresentou em 2016 um PDC para sustar a Resolução do CNJ que criou as “Audiências”.

“Marginais que executaram o Sgt Luís Carlos da Silva Castro, da PM do Amazonas, com 10 tiros, sendo 8 nas costas, saem pela porta da frente da delegacia, após serem ouvidos em *Audiência de Custódia*”, disse o presidente.

 

Anúncios