Segundo o ICIJ (Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos), uma nova investigação revela que a operação de fraudar licitações para obter 1 contrato era ainda maior do que a empresa  Odebrecht assumiu perante a Justiça e envolveu personalidades proeminentes e grandes projetos de obras públicas não mencionados nos processos criminais ou outros inquéritos oficiais até hoje.

Segundo o jornal digital Poder 360, a Odebrecht pagou propina a funcionários públicos numa escala tão grande que criou uma unidade especial, a Divisão de Operações Estruturadas, com o objetivo principal de administrar subornos.

Os arquivos obtidos pelo La Posta e ICIJ contêm mais de 13.000 documentos que haviam sido armazenados por essa divisão em uma plataforma secreta de comunicações conhecida como Drousys.

As demais descobertas serão publicadas em reportagens a partir desta quarta-feira (26).

Por mais de quatro meses, o ICIJ trabalhou em parceria com mais de 50 jornalistas em 10 países para investigar os livros contábeis da divisão de propina da Odebrecht.

Em nota enviada ao ICIJ, a Odebrecht afirmou estar comprometida com a total cooperação com as autoridades que investigam a corrupção associada à empresa, segundo a revista Época.

Anúncios