O principal assessor econômico do presidente americano Donald Trump avaliou, neste domingo, que há “boas possibilidades” de que empresas dos EUA obtenham licenças para vender produtos à Huawei, gigante tecnológica chinesa que está no centro das tensões comerciais entre Pequim e Washington.

Larry Kudlow fez esses comentários após o anúncio da trégua entre os dois países em sua disputa comercial, e depois de Washington abrir mão de taxar ainda mais as importações chinesas.

Trump já tinha mencionado no sábado um possível afrouxamento das restrições americanas à gigante chinesa das telecomunicações, incluindo a venda “de equipamentos que não representam um problema significativo de segurança nacional”.

“Existe uma boa probabilidade de que o Departamento de Comércio, o secretário (Wilbur) Ross, abra a porta e conceda novas licenças”, disse Kudlow à Fox News.

Os Estados Unidos temem que os sistemas fabricados pela Huawei, a segunda maior empresa global de smartphones, possam ser usados por Pequim para fins de espionagem.

A Huawei nega veementemente essa suspeita, e afirma que as autoridades norte-americanas não forneceram evidências para apoiar suas reivindicações.

Contudo, essas licenças não representam “uma anistia geral”, garantiu Kudlow. “Nós entendemos os enormes riscos relacionados à Huawei”, disse ele mais tarde à emissora CBS. *AFP

Anúncios