O procurador e coordenador da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol, não vai ao Congresso Nacional para prestar esclarecimentos sobre as mensagens divulgadas pelo site panfletário The Intercept.

Dallagnol se disse impossibilitado de atender ao convite dos deputados por preferir concentrar suas manifestações na esfera técnica, registra o site Congresso em Foco.

No ofício enviado à Comissão de Direitos Humanos e Minorias por Deltan Dallagnol, nesta segunda-feira (8), o  coordenador da Lava-Jato afirma que, embora agradeça o convite e “tenha sincero respeito e profundo apreço pelo papel do Congresso Nacional”, acredita ser importante concentrar na esfera técnica suas manifestações sobre “mensagens de origem criminosa, cuja veracidade e autenticidade” não reconhece e que “vêm sendo usadas para atacar a Operação Lava Jato“.

O procurador diz que tem por “função constitucional desempenhar trabalho de natureza técnica perante o Judiciário, outro poder, situação distinta daquela de agentes públicos vinculados ao Poder Executivo”. “Esse trabalho técnico consiste em investigar fatos e buscar a aplicação da lei penal de modo eficiente e justo, de acordo com a Constituição e com as leis, atividade funcional sujeita à apreciação do Poder Judiciário”, acrescenta Dallagnol.

Anúncios