A Justiça Federal no Rio homologou, a pedido da força-tarefa do Ministério Público Federal na Operação Lava Jato, a imediata devolução de R$ 270 milhões (US$ 82,3 milhões) pelo empresário Dan Wolf Messer, réu por evasão de divisas em esquema montado pela família Messer.

Foragido desde maio do ano passado, após sua prisão ser decretada na Operação Câmbio, Desligo,  o empresário Dario Messer, conhecido como “doleiro dos doleiros”, movimentou aproximadamente R$ 32 milhões com Mario Libman e Rafael Libman, pai e filho, respectivamente, alvos de mais uma fase da Lava Jato no Rio de Janeiro.

De acordo com o MPF,  Messer usou as empresas dos Libmans na movimentação de R$ 31,8 milhões entre 2011 e 2016, dinheiro que teria sido utilizado para pagar obras na cobertura de Messer no Leblon e na compra de terrenos, com  objetivo de construir imóveis no nome das empresas Rali e Palazzo dos Artistas, segundo aponta a revista Época.

O acordo de delação fechado com familiares de Dario Messer, o ‘doleiro dos doleiros’, foragido desde maio de 2018, envolve ainda a devolução do equivalente a cerca de R$ 100 milhões em dinheiro, imóveis e obras de arte, além de renúncia a bens e direitos decorrentes de herança do patriarca da família.

Ao todo, informou a Procuradoria no Rio, os valores a serem devolvidos somam R$ 370 milhões.

“A repatriação dos valores mantidos em contas em Bahamas, Mônaco e Nova York vem avançando e cerca de R$ 240 milhões já estão à disposição da Justiça para serem revertidos aos cofres públicos”, destaca a força-tarefa.

Os recursos foram repatriados no âmbito do acordo de colaboração de Dan Wolf Messer, homologado pela Justiça.

 

Anúncios