A Volkswagen se despediu, nesta quarta-feira (10), da produção do New Beetle, após concluir a produção, em sua fábrica mexicana, de Puebla, da última unidade deste veículo herdeiro do “Fusquinha”.

O último New Beetle, azul metálico, ligou seu motor e, em meio a música de mariachis, vivas e aplausos, deixou a linha de montagem para rodar alguns metros até uma plataforma de exibição, sob uma chuva de confetes e efeitos pirotécnicos.

“Obrigado, Beetle” foi a mensagem colocada em um arco sobre a plataforma, rodeada por funcionários que participaram da produção deste veículo. O modelo somou mais de 1,7 milhão de unidades desde que, em 1997, começou a ser montado na fábrica de Puebla, centro do México, uma das maiores da VW no mundo.

Dezenas de funcionários se reuniram desde cedo para dar últimos toques à celebrada unidade, cuja montagem levou cerca de sete horas. Esta foi a segunda geração do Fusca, concebido para substituir o sedã.

“É como se fosse um neto do ‘Fusquinha’. Foi o último da geração. Quem não iria querer um carro assim, feito por mãos mexicanas?”, indagou Roberto Benítez, de 40 anos, técnico de produção.

Os funcionários também usavam camisetas com a mesma mensagem. O clima era de festa, mas nostálgico, na despedida de um dos carros mais icônicos da montadora alemã.

“Sempre dá tristeza. É um trabalho diário, turnos completos, para termos o melhor resultado, me dá orgulho”, disse Francisco Bueno, outro funcionário, que trabalha nesta fábrica há 25 anos.

Na despedida, os mariachis entoaram a popular “Cielito lindo” e algumas lágrimas correram quando foi cantada a frase: “se vão os amigos, doces companheiros”, da nostálgica canção popular “Las Golondrinas”.

“A perda do Fusca após três gerações cerca de sete décadas deve provocar uma variada gama de emoções”, disse durante a apresentação Steffen Reiche, CEO da Volkswagen México.

– À venda online –

OS últimos 65 modelos do “Beetle Final Edition” serão vendidos no México apenas pela internet por US$ 21 mil para o modelo básico.

“Com este esquema, queremos chegar a novas audiências que estejam habituadas às compras digitais”, disse Juan Pablo Gómez, diretor de marketing da marca Volkswagen México.

Cada veículo tem ao lado esquerdo uma placa comemorativa seriada do 1 ao 65. O carro ficará disponível em azul metálico, preto, branco e bege.

AFP/Arquivos/PABLO BIELLI – Foto de arquivo, de 1° de março de 2015, do ex-presidente do Uruguai José Mujica ao volante de seu Fusca azul celeste

O New Beetle foi herdeiro do legendário Fusca (ou Sedan, como é conhecido no México), concebido em 1938 na Alemanha, em pleno auge do nazismo, e produzido até 2003. Seu último modelo também saiu desta fábrica no México, onde o “Fusquinha”, como é conhecido, foi um verdadeiro carro popular, considerado “bom, bonito e barato”, como definem seus fãs.

Mas, ao contrário de seu “avô”, um dos carros mais baratos do mercado, o New Beetle é considerado um veículo de luxo. Seu preço é o dobro de outros modelos similares.

Além do México, outros países da América Latina, como o Brasil, são verdadeiros devotos do modesto “Fusca”, e o ex-presidente uruguaio José Mujica tornou seu modelo azul celeste de 1987 um símbolo de sua austeridade.

As ventas do New Beetle nos Estados Unidos, principal mercado de exportação de veículos fabricados no México, caíram nos últimos anos, pois o consumidor tem preferido carros maires.

A área de trabalho dedicada ao New Beetle passa agora a produzir um modelo de SUV compacto da VW batizado como Tarek. *AFP

 

 

 

Anúncios