A Concacaf anunciou nesta quarta-feira que vai manter seu hexagonal de seis equipes como método de classificação para a Copa do Mundo do Catar-2022 mas vai variar seu formato para evitar surpresas como a dos Estados Unidos, que ficou fora da Copa da Rússia de 2018.

No sistema, dividido em duas partes nas janelas de 2020 e 2021 entre as seis equipes melhor colocadas no ranking da Fifa em junho de 2020, serão disputados três vagas diretas para a Copa do Mundo, informou o organismo da América do Norte, América Central e Caribe.

A segunda parte da eliminatória será jogada com uma fase de grupos e uma fase de eliminação direta e vai envolver as Associações Membro da Concacaf classificadas do sétimo ao trigésimo-quinto lugar segundo o ranking da Fifa.

As 29 equipes serão divididas em oitos grupos (cinco de quatro e três de três). Os líderes vão se enfrentar em seguida em uma eliminatória e o vencedor vai jogar contra o quarto do Hexagonal para disputar um playoff contra outra equipe de outra confederação.

“O amor pelo jogo nesta região está crescendo rapidamente e nossas diversas e dinâmicas comunidades querem um caminho claro rumo ao futebol de nível mundial. Por meio de nossos novos formatos, nas eliminatórias para a Copa do Mundo da Fifa, a Liga das Nações da Concacaf e a Copa Ouro da Concacaf, estamos organizando mais partidas internacionais do que nunca, para ajudar estas comunidades a alcançar seu potencial”, disse o presidente da Concacaf, Victor Montagliani, em um comunicado.

Segundo Montigliani, “esta nova eliminatória para a Copa do Mundo da Fifa, baseada nos rankings da Fifa, permite que cada partida competitiva seja significativa. Junto com a Liga das Nações da Concacaf e nossa ampliada Copa Ouro, elevaremos os níveis de jogo a patamares sem precedentes e vamos desenvolver o esporte em toda a região.

Estes formatos farão com que os países líderes da Concacaf sejam mais fortes no cenário mundial, ao mesmo tempo em que vão brindar nossas nações futebolísticas emergentes com a oportunidade de alcançar seus sonhos de jogar uma Copa do Mundo”, acrescentou.

Desta maneira será mais difícil que os melhores times da região fiquem fora da Copa do Catar, como ocorreu com os Estados Unidos na Rússia em 2018. *AFP

Anúncios