Um ato de protesto contra a presença do militante norte-americano Glenn Greenwald, cofundador do site  Intercept, durante a programação da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), foi convocado nas redes sociais e perturbou a palestra do ativista.

A partir das 19h, o grupo de 500 pessoas, segundo os participantes, passou a tocar som alto e soltar fogos de artifício.

Na trilha sonora estavam o Hino Nacional, “Detalhes” e “Pavão misterioso” – um perfil no Twitter que divulgou prints comprometedores de jornalistas do Intercept, dos deputados federais Marcelo Freixo (PSOL-RJ) e  Paulo  Pimenta (PT/RS) e do ex-deputado federal Jean Wyllys.

Por cerca de 30 minutos o evento não teve condições de começar por conta do barulho provocado pelo protesto.

Após iniciar sua fala, o jornalista teve novamente como trilha sonora involuntária o Hino Nacional – inclusive em versão remix. Às 19h45, Glenn ainda enfrentava dificuldades para ser ouvido pelo público que lotava o cais, informa o site G1.

Com microfone, amplificador de som e fogos de artifício, os manifestantes afirmavam que o protesto é apartidário e a favor da Lava Jato.

Anúncios