Lima inaugura nesta sexta-feira (26) os XVIII Jogos Pan-Americanos, o maior evento esportivo na milenar história do Peru, no qual serão disputadas 21 vagas para as Olimpíadas de Tóquio-2020, o que significa um recorde.

A chama pan-americana será acendida no Estádio Nacional em uma cerimônia programada para as 19h locais (21h00 pelo horário de Brasília), em que será encenado um ritual inca diante de 50 mil espectadores. A tocha vai chegar ao estádio após percorrer durante 23 dias diferentes regiões do país, partindo da cidadela inca de Machu Picchu.

“Somos 41 países que estão aqui representados por seus atletas, representados por seus dirigentes, representados por seus jornalistas, representados por todos os que vêm nos visitar, os pais de família que vêm para ver seus filhos competirem”, disse o presidente do Comitê Organizador, Carlos Neuhaus.

“Os Pan-Americanos são a grande oportunidade para unir as culturas das Américas”, acrescentou Neuhaus ao inaugurar uma exposição sobre o Peru no Centro de Imprensa dos Jogos, nos quais está prevista uma disputa acirrada entre Brasil, Cuba e Canadá pelo segundo lugar, sem chances de superar os Estados Unidos.

Pela primeira vez desde 1971, Cuba chega ao Pan sem ser a segunda potência do continente, status que perdeu em Toronto-2015 ao terminar na quarta posição, abaixo do anfitrião Canadá e do Brasil.

Com 1.948 ouros acumulados desde 1951, os Estados Unidos parecem insuperáveis nesta competição, que termina em 11 de agosto. Estarão competindo 6.680 atletas de 41 países e territórios de toda América.

Os peruanos poderão assistir a competições em 61 disciplinas e 39 esportes, desde equitação ao surfe, em 21 sedes de Lima e do vizinho porto de Callao.

O interesse pelo esporte cresceu no Peru impulsionado pela seleção de futebol do país. Sob o comando do argentino Ricardo Gareca, a equipe se classificou para a Copa do Mundo da Rússia de 2018, após uma ausência de 36 anos, e chegou à final da Copa América no Brasil este ano, pela primeira vez em 44 anos. Perdeu para os anfitriões.

Lima colocou à disposição dos atletas e dos turistas sua hospitalidade e sua famosa gastronomia. Restaurantes e hotéis estão otimistas com a chegada de cerca de 175 mil visitantes estrangeiros durante os Jogos, segundo com o governo.

Para enfrentar a insegurança, outro grande problema do Peru, as autoridades mobilizaram 10 mil policiais e três mil soldados. *Com AFP

Anúncios