Os maiores incêndios – supostamente desencadeados por uma combinação de eventos naturais e atividade humana – atingiram as regiões de Irkutsk, Krasnoyarsk e Buryatia.

A ONG Greenpeace referiu que as imensas nuvens de fumo, que cobrem atualmente vastos territórios da Sibéria e do Extremo Oriente russo, alcançando os Urais e, em alguns casos, a República Russa do Tartaristão, são uma ameaça à saúde da população.

Resultado de imagem para Milhões de hectares em fogo na Rússia fotoA ONG Greenpeace lembrou que, este ano, os incêndios florestais já afetaram uma área de mais de 11 milhões de hectares e neste momento cerca de 3 milhões de hectares de áreas florestais estão a arder.

O enviado do Presidente Vladimir Putin na Sibéria afirmou que não há necessidade de declarar uma emergência, a menos que a concentração de monóxido de carbono exceda os limites permitidos.

Enquanto isso, o fogo já terá atingido a região russa de Tyumen, no oeste da Sibéria, que fica a seis fusos horários distantes do local onde ocorrem os maiores incêndios. *Euronews

Anúncios