A polícia brasileira acredita, após investigação, que não há provas suficientes para acusar o craque Neymar de estuprar uma jovem brasileira em maio, em Paris, anunciou na segunda-feira (29) a promotoria de São Paulo.

A investigação policial, primeira fase do processo, acabou e deve ser entregue terça-feira ao promotor, que terá 15 dias para decidir se vai ou não acusar, informou à AFP um porta-voz do Ministério Público de São Paulo. .

O craque do Paris Saint-Germain é acusado por Najila Trindade Mendes de Sousa, jovem modelo brasileira, de tê-la estuprado em 15 de maio em um hotel em Paris. Neymar afirma ser inocente e afirma que o relacionamento que ele teve com a jovem foi consentido.

A polícia de São Paulo, onde Najila Trindade apresentou uma denúncia contra Neymar duas semanas depois dos supostos fatos, considera que não há provas suficientes para acusar o futebolista de ter forçado a jovem a ter relações sexuais e ter fisicamente atacado ele.

O Ministério Público pode agora solicitar a demissão do arquivo, a acusação de Neymar ou posterior investigação. A decisão final irá para os juízes.

Neymar foi interrogado em 13 de junho em uma delegacia de polícia em São Paulo. Najila Trindade foi ouvida duas vezes, também em São Paulo, nos dias 7 e 18 de junho.

O jogador também foi ouvido pela primeira vez pela polícia no início de junho por transmitir nas redes sociais, para provar sua inocência, um vídeo mostrando conversas e imagens íntimas com Najila Trindade.

Neymar, o futebolista mais caro da história, chegou de Barcelona ao PSG no verão de 2017 pela soma recorde de 222 milhões de euros, passando por um ano complicado também em termos de esporte.

Ele não esconde seu desejo de voltar ao Barcelona, ​​e seu futuro mantém o mundo do futebol em suspense durante a janela de transferências do verão, que termina em 2 de setembro na França e na Espanha.

Um tornozelo lesionado, Neymar não pôde participar em julho com a seleção brasileira na Copa América, vencida pela Seleçao. *AFP

Anúncios