A assinatura do contrato de concessão da EF-151, conhecida como Ferrovia Norte-Sul, em Anápolis (GO), ocorreu no pátio do Porto Seco Centro-Oeste, no setor agroindustrial do município.

Antes da assinatura, Bolsonaro vestiu um colete dos operários que trabalham na ferrovia e passeou ao redor dos trilhos e subiu em uma locomotiva estacionada.

A concessão da ferrovia foi arrematada pela empresa Rumo S.A, em leilão realizado em março. A empresa, que atua em serviços de logística de transporte ferroviário, ganhou o certame ao oferecer um lance de pouco mais de R$ 2,719 bilhões, um ágio de 100,92% ao lance mínimo pedido pelo governo, de R$ 1,3 bilhão. O contrato tem duração de 30 anos.

 Vista do trecho Colinas-Guaraí da Ferrovia Norte-Sul, em Guaraí (TO) O contrato prevê a administração de dois trechos da Norte-Sul, de um total de 1.537 quilômetros. O primeiro, de 855 quilômetros de extensão, sai de Porto Nacional e vai até Anápolis (GO), e se encontra com 100% da infraestrutura construída e disponível para o transporte de cargas. A expectativa é que as operações comecem até o final de 2019.

Já o segundo trecho, compreendido entre Ouro Verde de Goiás (GO) e Estrela D’Oeste (SP), com 682 km de extensão, se encontra com mais de 95% das obras concluídas. A concessionária tem dois anos para concluir as obras desse trecho e iniciar as operações em 2021. *Agência Brasil

Anúncios