Milhões de toneladas de soja americana foram transportadas para a China no mais recente progresso na compra dos produtos agrícolas dos Estados Unidos por empresas chinesas, depois de uma reunião em junho entre os dois chefes de Estado em Osaka.

Por outro lado, a administração dos Estados Unidos anunciou a isenção de tarifas adicionais impostas sobre 110 artigos de produtos industriais chineses e expressou sua vontade de incentivar as empresas norte-americanas a continuarem abastecendo as empresas chinesas relacionadas.

Estes mostraram a prontidão dos dois lados de implementar o consenso atingido pelos dois chefes de Estado em Osaka, segundo fontes da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma e do Ministério do Comércio da China.

Desde 19 de julho, algumas empresas chinesas contataram fornecedores norte-americanos sobre novas compras de produtos agrícolas dos Estados Unidos, incluindo soja, algodão, carne suína e sorgo. Atualmente, um conjunto de acordos foi feito de acordo com condições do mercado.

As empresas chinesas envolvidas solicitaram o levantamento de tarifas adicionais sobre alguns dos produtos agrícolas dos Estados Unidos, e a Comissão de Tarifas Alfandegárias do Conselho de Estado (gabinete chinês) lidará com seus pedidos segundo procedimentos estipulados.

As empresas chinesas continuarão, com base em demanda de mercado nacional, a pedir informações sobre as compras dos produtos agrícolas dos Estados Unidos, incluindo soja, algodão, carne suína, sorgo, trigo, milho e produtos lácteos.

Os acordos adicionais devem ser feitos desde que os produtos dos Estados Unidos tenham preços razoáveis e de qualidade premium.

As fontes de departamentos relevantes do governo chinês disseram que os Estados Unidos devem tomar medidas concretas para cumprir suas promessas e criar condições favoráveis para as consultas econômicas e comerciais entre os dois lados. *Xinhua (agência oficial da China)

Anúncios