O governo maltês anunciou neste sábado (10) que aceitará 39 migrantes resgatados pelo navio Open Arms da ONG espanhola Proactiva, mas recusou os outros 121 a bordo, provocando fortes críticas da ONG espanhola. 

Malta disse, em um comunicado, que “propôs transferir os 39 migrantes para um navio das forças militares, e  colocá-los em solo maltês porque eles foram resgatados com a ajuda do Centro de Busca e Resgate ( RCC) maltês.

“Mas, a Open Arms recusa essa solução e insiste que Malta acolha os 121 outros migrantes interceptados em uma área que nem Malta nem a autoridade de coordenação competente é responsável”, disse o governo de Malta.

Segundo o diretor da ONG, Carscar Camps, em coletiva de imprensa da ilha italiana de Lampedusa, junto ao ator americano Richard Gere, a decisão de Malta “causou um grave problema de segurança a bordo e o nível de ansiedade dessas pessoas é insustentável”.

Gere embarcou na sexta-feira no navio humanitário para mostrar apoio à tripulação e aos migrantes, e ajudou a carregar novos suprimentos de água e comida, quase esgotados depois de mais de uma semana.

“A maioria das pessoas se refere a eles como migrantes, mas para mim são refugiados que estão escapando da crise”, disse Gere na entrevista coletiva.

Ele aludiu à “situação política americana muito bizarra” com um presidente que coloca muita energia na desumanização. “Nós temos nossos refugiados de Honduras, El Salvador, Nicarágua, México, é muito parecido com isso aqui.” Mas “em todos os lugares da Terra, devemos parar de demonizar os seres humanos”, alegou o ator. *AFP

Anúncios