Antonio Ledezma, ex-prefeito da cidade de Caracas, no exílio, disse neste domingo (11) que a negociação que estava ocorrendo em Barbados terminou como mais uma mentira do regime de Nicolás Maduro.

Ele pediu para continuar com a cessação da usurpação de Maduro, o primeiro passo proposto por Juan Guaidó, presidente interino, e não perder tempo para invocar a aplicação do princípio da intervenção humanitária com o Tratado Interamericano de Assistência Recíproca (TIAR) e a norma Responsabilidade de Proteger .

Ledezma disse que Maduro protege o tráfico de drogas e o terrorismo na Venezuela. Em sua conta no Twitter, ele compartilhou a declaração que assinou com as líderes María Corina Machado e Diego Arria para pedir aos Estados Unidos que tomem medidas que permitam a Guaidó chegar a uma mudança política no país.

No documento, eles destacaram que as medidas adotadas para proteger os ativos da Venezuela nos Estados Unidos, que bloqueiam todas as operações financeiras, comerciais ou econômicas de Maduro, são consistentes para acelerar a cessação da usurpação.

Eles indicaram que antes do fracasso das conversas promovidas pela Noruega, Guaido deve se concentrar no primeiro ponto da rota estratégica definida desde janeiro passado. Eles mencionaram que agora é apropriado ativar o retorno ao TIAR.

*El Nacional

Anúncios