A chefe do Executivo da Região Administrativa Especial de Hong Kong (RAEHK), Carrie Lam, insistiu pelo fim da violência para tirar Hong Kong de um difícil impasse econômico.

Antes de se pronunciar aos meios de comunicação na sexta-feira (9), Lam se reuniu com 33 representantes dos principais setores econômicos da região, incluindo turismo, comércio varejo, finanças e bancos, com o objetivo de analisar como o governo da RAEHK e os diferentes setores de Hong Kong podem unir esforços conjuntos para superar as dificuldades econômicas.

Em meio à fricção comercial entre a China e os Estados Unidos e as disputas políticas que duraram por mais de dois meses em Hong Kong, os setores empresariais estão profundamente preocupados com a recessão econômica, assinalou Lam à imprensa.

Ela acrescentou o atual quadro econômico está mais sombrio do que nunca e que a recuperação será um processo de longo prazo.

A prioridade atual é conter a violência generalizada para que Hong Kong saia do impasse econômico, destacou Lam, pedindo que os diferentes setores da sociedade deixem de lado as diferenças e eliminem o antagonismo para proteger a região de maiores danos.

Lam pediu solidariedade entre os diferentes setores, especialmente os empresariais, para resistir à tormenta.

Também prometeu escutar mais opiniões de diferentes setores para melhorar o trabalho do governo. *Xinhua (Agência oficial da China)

Anúncios