Aos gritos de “Chega de Trump!”, milhares de seguidores do chavismo saíram em passeata neste sábado (10) em várias cidades da Venezuela, em um novo protesto contra as sanções comerciais que os Estados Unidos impuseram nesta semana ao governo de Nicolás Maduro.

A segunda mobilização em dois dias incluiu uma coleta de assinaturas para acompanhar um manifesto de protesto que será enviado ao secretário-geral da ONU, Antonio Guterres.

Os manifestantes, a maioria vestindo vermelho, cor do chavismo, agitavam bandeiras da Venezuela e imagens de Simón Bolívar e do finado presidente Hugo Chávez.

“Trump quer nos matar de fome, fora Trump, não te queremos aqui!”, disse Ana de Castellanos à estatal VTV, no centro de Caracas. “Vai nos matar de fome!”, proclamou a manifestante, que usava uma bandeira amarrada no pescoço e um bigode falso ao estilo Maduro.

Outras manifestações aconteceram paralelamente em estados como Zulia, Barinas e Bolívar. Uma pequena passeata ocorreu também na favela 23 de Janeiro, reduto chavista na capital, onde uma bandeira americana foi queimada.

O governo Trump anunciou nesta semana um bloqueio dos ativos da Venezuela nos Estados Unidos e sanções a qualquer empresa que negociar com o governo venezuelano, a mais recente de uma série de sanções que buscam asfixiar e propiciar a queda de Maduro.

Em resposta às sanções, Maduro congelou o diálogo que mantinha com a oposição com a mediação da Noruega. *AFP

Anúncios