A polícia norueguesa disse neste domingo (11) que a mesquita havia sido atingida  no dia anterior nas proximidades de Oslo como uma “tentativa de ataque terrorista”.

“O mapeamento que fizemos mostra que o perpetrador do ataque tinha opiniões de extrema-direita”, disse o chefe de polícia de Oslo, Rune Skjold, sobre o suspeito, um norueguês na casa dos 20 anos. anos.

“Ele tinha posições xenofóbicas, queria semear o terror”, acrescentou ele em entrevista coletiva.

O ataque ao centro islâmico Al-Noor na tarde de sábado (10)em Baerum, um subúrbio residencial de Oslo, causou uma leve lesão.

Várias horas após o ataque, a polícia descobriu o corpo de uma jovem, parente do suspeito, em sua casa, levando à abertura de uma investigação por assassinato em conexão com o tiroteio na mesquita.

Ouvido à noite pelos investigadores, o suspeito se recusou a explicar.

“Concluímos que estamos lidando com uma tentativa de atentado terrorista”, disse Rune Skjold em uma atualização sobre a investigação.

Segurando várias armas nele, o suspeito atirou dentro da mesquita onde três fiéis estavam presentes. Ele havia sido contido por um indivíduo e entregue à polícia, enviado para o local.

Uma mensagem de que o suspeito postou em um fórum on-line pouco antes do ataque evoca uma “guerra racial” e presta homenagem ao autor do ataque a duas mesquitas cometidas em março na Nova Zelândia, durante o qual 51 pessoas foram mortas.

A autenticidade da mensagem e a identidade de seu autor não podem ser determinadas com certeza neste estágio. *AFP

Anúncios