A Petrochina deixará de importar petróleo da Venezuela , porque o impacto das últimas sanções impostas pelo governo do presidente dos EUA, Donald Trump , que tenta isolar o regime que governa a Venezuela na Venezuela, está sendo avaliado.

No entanto, funcionários da China National Petroleum Corp (Cnpc), empresa controladora da Petrochina, indicaram que a decisão se deve à situação precária que a Petróleos de Venezuela (PDVSA) está passando. 

Além disso, a Petrochina planeja retirar a estatal venezuelana de um projeto de refinaria de petróleo e usina petroquímica de US $ 10.000 milhões no sul da China, disseram nesta semana três fontes com conhecimento do assunto.

A China , maior importador de petróleo do mundo, é hoje o segundo maior comprador na Ásia de combustível venezuelano,  com 16,63 milhões de toneladas, ou cerca de 332.000 barris por dia (bpd) em 2018.

Na última terça-feira,  Anatoly Kurmanaev , correspondente do  The New York Times em Caracas, disse que a petrolífera russa Lukoil, uma das maiores do país, suspendeu seus contratos com a PDVSA.

O jornalista acrescentou que, de acordo com comerciantes e funcionários de fornecimento da PDVSA, pelo menos seis “comerciantes de petróleo russos” suspenderam seus contratos com a companhia venezuelana. *Venepress