O grupo sueco de defesa e aeronáutica Saab entregou seu primeiro caça Gripen ao Brasil nesta terça-feira (10), conforme previsto no contrato assinado em 2014, um acordo em investigação pela Justiça brasileira.

A cerimônia de entrega do dispositivo ocorreu em Linkoping (sul), na presença dos ministros da Defesa dos dois países.

O Gripen aumenta a capacidade operacional das Forças Aéreas Brasileiras e estimula uma aliança que garante a transferência de tecnologia para o Brasil e incentiva a pesquisa e o desenvolvimento industrial nos dois países”, disse o ministro Fernando Azevedo e Silva.

O Brasil concluiu em 2015, após anos de negociações e dúvidas, a compra de 36 aviões Gripen produzidos pela fabricante Saab no valor de 4,5 bilhões de dólares.

Brasília receberá o último avião em 2024 conforme o contrato, que também prevê uma transferência de tecnologia. Das 36 aeronaves, 15 serão fabricadas no Brasil.

Segundo a Saab, mais de 350 brasileiros, entre engenheiros e técnicos, participam ativamente do programa de transferência de tecnologia, incluindo temporadas na Suécia para receber treinamento.

Em 2016, o Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen foi inaugurado junto à unidade da Embraer de Gavião Peixoto, no interior de São Paulo. No centro, engenheiros brasileiros e suecos trabalham conjuntamente para desenvolver o projeto. A previsão é que, se tudo correr bem, as 36 aeronaves sejam todas entregues até 2024.

Em seu site, a Saab reconhece que o contrato assinado com o Brasil no início de 2014 “solidificou a reputação da Saab na América Latina”.

As condições de atribuição do contrato estão sendo examinadas no Brasil, onde ainda está em aberto uma investigação por corrupção contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O Ministério Público investiga a suposta entrega de comissões ao filho do ex-presidente Luis Claudio, que teria conseguido influenciar o governo de Dilma Rousseff pela compra do Gripen. *AFP e Agência Brasil

Anúncios