O falecido presidente Hugo Chávez planejava traficar drogas em grandes quantidades para os Estados Unidos com a ajuda das FARC.

Um relatório da DEA ao qual o jornal espanhol El Mundo teve acesso indica que, juntamente com o ex-diretor de Inteligência Militar, Hugo “el Pollo” Carvajal, Diosdado Cabello, Tareck el Aissami e outros representantes, Chávez construiu um plano, com uma rota inclusive, para inundar o país americano das drogas.

A Administração de Repressão às Drogas baseia-se nas declarações de quatro testemunhas que participaram, em algum momento, da execução do plano.

Chávez confiou em Pollo Carvajal para entrar em contato com os líderes das FARC, uma organização com a qual ele mantinha relações desde antes de o líder socialista chegar ao poder.

O relatório também indica que o falecido presidente usou fundos e armas da PDVSA do exército venezuelano para financiar os guerrilheiros colombianos.

Carvajal, preso na Espanha e solicitado extradição pelos Estados Unidos, foi identificado por uma das testemunhas como o criador da rota completa na América do Sul para traficar drogas.

Mais tarde, o governo chavista pediu a essa mesma testemunha conselhos para encontrar outros traficantes de drogas que usavam a rota já projetada em troca de dinheiro.

A esse respeito, Nielson de Souza, defensor de Carvajal, negou essa informação a El Mundo e reiterou que seu réu é um político perseguido. “Os Estados Unidos estão montando um caso em troca de pessoas testemunharem contra o governo de Nicolás Maduro”, disse ele. *El Nacional

 

Anúncios