Em meio a questionamentos sobre os métodos da Lava Jato, o Supremo Tribunal Federal vai tentar validar as mensagens de Telegram, hackeadas e divulgadas pelo site The Intercept Brasil, envolvendo integrantes da operação.

De acordo com reportagem do jornal Folha de S.Paulo, o ministro Gilmar Mendes, um dos críticos mais ferrenhos da Lava Jato, vai acionar a PGR (Procuradoria-Geral da República) para verificar a autenticidade dos arquivos, contando com o apoio de outros integrantes do STF.

Se a apuração atestar oficialmente a veracidade das mensagens, estas poderão ser usadas em processos com eventuais impactos sobre decisões judiciais e agentes públicos que atuaram na Lava Jato.

Em recente entrevista, o Procurador-Geral, Augusto Aras, disse que, se validadas, as mensagens poderão servir para embasar eventuais procedimentos no CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público), mas não têm o condão de anular condenações já impostas.

As conversas de Telegram, obtidas pelo The Intercept Brasil e divulgadas pelo site e por outros veículos, incluindo a Folha,  denunciaram uma suposta proximidade entre Sergio Moro e procuradores, incluindo o chefe, Deltan Dallagnol.